sexta-feira, 17 de junho de 2016

IDANHA-A-VELHA - Junho 2016

Idanha-a-Velha é uma das Aldeias Históricas de Portugal.
Toponimicamente, Idanha-a-Velha poderá derivar da denominação romana "Cidade dos Igeditanos" (Civitas Igaedinorum), terminologia que viria a tornar-se Igeditânia. O nome Egitânia só surge em documento do século VI e dele derivam a forma visigótica Egitânia e a forma árabe Idânia.
A povoação foi fundada no período de Augusto (século I a.C.). É possível identificar os inúmeros vestígios materiais de habitações e templos romanos existentes na povoação, com o reaproveitamento de pedra nas construções posteriores.
Os elementos romanos mais importantes foram destruídos no século V pelos Suevos, restando vestígios em condições muito diversas: a Ponte de Alcântara, que ligava Mérida a Astorga, o Fórum, o Podium de Vénus (sobre o qual foi construída a Torre dos Templários), e as Termas. A prosperidade veio com a conquista visigótica, durante a qual foram construídos a Catedral, o Palácio dos Bispos, o Paço episcopal e a Ponte de São Dâmaso. Em 713, os mouros tomaram a cidade e destruíram-na. Reconquistada pelo Rei Afonso III de Leão, foi perdida novamente, só tendo sido definitivamente tomada por D. Sancho I.
Em 1319, D. Dinis doou-a à Ordem de Cristo e o foral foi renovado no tempo de D. Manuel I.

Idanha-a-Velha is one of the historical villages of Portugal.
Its toponymy, Idanha-a-Velha may derive from the Roman name "City of Igeditanos" (Civitas Igaedinorum), terminology that would become Igeditânia. The Egitânia name only appears in VI century document and derive from it the Visigoth form Egitânia and Arabic form Idania.
The village was founded in the Augustan period (first century BC). You can identify the numerous material traces of dwellings and existing Roman temples in the village, with stone reused in later buildings.
The most important Roman elements were destroyed in the fifth century by the Suevians, leaving traces in very different conditions: the Alcantara Bridge, connecting Merida to Astorga, the Forum, the Podium of Venus (on which was built the Tower of the Templars) and Spa. Prosperity came with the Visigoth conquest, during which were built the Cathedral, the Palace of Bishops, the Episcopal Palace and the St. Damasus Bridge. In 713, the Moors captured the city and destroyed it. Reconquered by King Alfonso III of Leon, it was lost again, having only been definitely taken by D. Sancho I.

In 1319, D. Dinis donated it to the Order of Christ and the charter was renewed by King Manuel I.
















Sem comentários:

Publicar um comentário