quarta-feira, 22 de junho de 2016

CÁCERES - Abril 2016

Foi no século I a.C., aquando da fundação romana, junto da via de comunicação mais importante da zona conhecida como Via da Prata, que a cidade conheceu os primeiros tempos de prosperidade. Era ali que ficava Castra Cecília, uma das bases de Quinto Cecílio Metelo Pio durante a Guerra Sertoriana. No século V d.C., os visigodos arrasaram a cidade e até ao século IX não se ouviu mais falar de Cáceres.
Os muçulmanos aproveitaram a localização estratégica, da antiga colónia romana, para construir uma base militar para fazer frente aos cristãos vindos do norte durante a época da Reconquista.
No século XII, devido ao avanço dos cristãos, a cidade foi fortificada com uma muralha de adone. Esta não serviu de muito pois o rei Afonso IX, monarca do Reino de Leão, tomou a cidade anos depois a 23 de Abrik de 1229, dia de São Jorge, que desde então é o padroeiro da cidade.
A partir desse momento, Cáceres começa a transformar-se, construindo igrejas no lugar das mesquitas e palácios cristãos sobre os palácios muçulmanos. Com algumas modificações desde o século XVIII, a cidade chega aos nossos dias quase sem alterações, sendo uma das cidades monumentais mais bem conservadas do Mundo.
O centro histórico da cidade foi incluído na lista do Património da Humanidade pela UNESCO  em 1986, sob o nome de "Cidade Antiga de Cáceres" . Em 1968, a chamada "Cidade Monumental de Cáceres" foi declarada o terceiro Conjunto Monumental Europeu, depois de Praga e Talim.
Mais uma estadia não programada e a cidade cheia que nem um ovo. Conseguimos alojamento nos arredores em Malpartida de Cáceres no hotel Los Barruecos. Ao jantar, os vários restaurantes na Praça Maior, têm várias opções de menus. O completo fica por 12€.


























Sem comentários:

Publicar um comentário